Histórico
 24/10/2004 a 30/10/2004
 17/10/2004 a 23/10/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004
 03/10/2004 a 09/10/2004
 26/09/2004 a 02/10/2004
 19/09/2004 a 25/09/2004
 12/09/2004 a 18/09/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 15/08/2004 a 21/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 11/07/2004 a 17/07/2004
 04/07/2004 a 10/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 20/06/2004 a 26/06/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 30/05/2004 a 05/06/2004
 23/05/2004 a 29/05/2004
 16/05/2004 a 22/05/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004
 02/05/2004 a 08/05/2004
 25/04/2004 a 01/05/2004
 18/04/2004 a 24/04/2004
 11/04/2004 a 17/04/2004
 04/04/2004 a 10/04/2004
 28/03/2004 a 03/04/2004
 21/03/2004 a 27/03/2004
 14/03/2004 a 20/03/2004
 07/03/2004 a 13/03/2004


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Mundo Digital (Blog)
 Inclusão Digital (Site)
 Acessibilidade Brasil
 InternETC (Blog)
 Querido Leitor! (Blog)
 Dilbert (Cartum)


 
Dígito
 
 blogdigito@yahoo.com.br
ciberleitor(es) online


sexta.feira(tô legal);

A nuvem negra passou. Pena que não era de chuva. E o calor e a vida continua...

Não estava nada bem ontem. Acredito que seja meu deficit de sono. Tenho dormido mal e pouco. O que me deixa desorientadamente irritado.

Tenho também me sobrecarregado. É tanta coisa a fazer em 24h/7dias. E me esqueço que sou apenas um e respiro...



 Escrito por Dígito às 13h10 [ ] [ envie esta mensagem ]



tristeza

Sinto-me triste. Uma dor que me aperta o peito e apunhala o coração. Um silencio que cerra meus lábios e ata-me os gestos. Um olhar cabisbaixo que tropeça em cacos.

Por que me sinto assim? Por que esta sombra me persegue? Por que me encontro num nevoeiro incerto? Por que me perco em cada esquina? Por quê? Porque...

Mas isso passa... como as manchetes do noticiário...



 Escrito por Dígito às 07h27 [ ] [ envie esta mensagem ]



limpa.geral(mendigos);

A cidade está suja. Suja de mentiras, suja de corrupção, suja de doenças, suja de sangue, suja de intolerância, suja de gente.

Há os que se consideram "mais iguais" que os outros. Com direitos e privilégios adquiridos pela força e violência. Consideram-se garis sociais. Exterminam os 'diferentes' como se limpassem a sociedade. Uma espécie de purificação genética e sublimação humana.

Apesar da pobreza se alastrar numa pandemia, nunca foi contagiosa. É apenas um câncer da Economia e da Política. Mas somos todos co-responsáveis por nossa indiferença, preoconceito, omissão e alienação.

Os mendigos sempre estiveram nas ruas. Mas, quanto foi mesmo a nossa doação hipócrita para de$contar no Imposto de Renda? Quantos doaram um cobertor, um casaco, um alimento, um teto, um abraço, um carinho, um pouco de atenção?

As pessoas silenciam a consciência com frases: "ah, o problema não é meu", "eu já pago os meus impostos, que o governo faça alguma coisa", "eu esmolo por caridade".

Assassinaram os mendigos. E os comerciantes varrem as calçadas tranqüilamente. 'Eles' não mais incomodarão os fregueses. As pessoas passam sossegadas. 'Eles' não mais atrapalharão a passagem. Os executivos caminham despreocupados. Não mais se ouvirá: "doutor, um trocado!".

A praça está florida. Com crisântemos e perfumes que dizem adeus... 



 Escrito por Dígito às 08h51 [ ] [ envie esta mensagem ]



hot(bsb);

Verão?! Um deserto, decerto. Porque em Brasília só há duas estações: verão e inverno. É primavera o ano todo nos bairros nobres. O outono está no sabor de algumas frutas de estação.

Um clichê de agosto: está quente e seco. Um calor insuportável (mesmo com ventilador ou ar condicionado). Uma secura na garganta (mesmo com bebida gelada). Aff. Se o nosso céu é mais azul e angelical, aqui na terra queima como o inferno.

Quero asas para fugir daqui... ou mesmo para me abanar um pouco...



 Escrito por Dígito às 08h36 [ ] [ envie esta mensagem ]



int sonho.bom(void);

Quais os sonhos que têm passeado contigo ao dormir? Grandes ou pequenos? Em cores ou em tons pastéis? Você se lembra deles ou os esquece ao acordar?

Hoje tive um sonho bom. Não sei narrar como foi. Apenas senti a plenitude de uma paz indescritível enquanto atravessava campos verdejantes, vales e montanhas. "Além do bem e do mal". Estava só, mas não me senti sozinho ou com medo. Caminhava descalço, as mãos limpas e os bolsos vazios. Pois, já não havia necessidade alguma. Somente viver e ser feliz. Como no princípio, nos jardins edênicos.

Acordei e me senti bem. Mas, uma vontade de chorar. Foi tudo apenas um sonho... Enquanto isso, nos jornais pesadelos inesquecíveis...    



 Escrito por Dígito às 09h18 [ ] [ envie esta mensagem ]