Histórico
 24/10/2004 a 30/10/2004
 17/10/2004 a 23/10/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004
 03/10/2004 a 09/10/2004
 26/09/2004 a 02/10/2004
 19/09/2004 a 25/09/2004
 12/09/2004 a 18/09/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 15/08/2004 a 21/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 11/07/2004 a 17/07/2004
 04/07/2004 a 10/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 20/06/2004 a 26/06/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 30/05/2004 a 05/06/2004
 23/05/2004 a 29/05/2004
 16/05/2004 a 22/05/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004
 02/05/2004 a 08/05/2004
 25/04/2004 a 01/05/2004
 18/04/2004 a 24/04/2004
 11/04/2004 a 17/04/2004
 04/04/2004 a 10/04/2004
 28/03/2004 a 03/04/2004
 21/03/2004 a 27/03/2004
 14/03/2004 a 20/03/2004
 07/03/2004 a 13/03/2004


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Mundo Digital (Blog)
 Inclusão Digital (Site)
 Acessibilidade Brasil
 InternETC (Blog)
 Querido Leitor! (Blog)
 Dilbert (Cartum)


 
Dígito
 
 blogdigito@yahoo.com.br
ciberleitor(es) online


dentista();

Dormi mal. Tive pesadelos horríveis. É sempre assim. Fico ansioso com consulta odontológica.

É ridículo ficar deitado naquela posição revelando toda sua intimidade bucal. Inerte, impotente, aflito e pensativo. A luz no rosto como se estivesse em um interrogatório. E todos aqueles instrumentos de tortura: injeção, obturador e aquele barulhinho inconfundível. Dzzzzzzzzzzz.

E depois, um sorvete. A desculpa perfeita para um dia frio.



 Escrito por Dígito às 07h33 [ ] [ envie esta mensagem ]



corcel.branco();

Trânsito confuso e apressado. Ruas para todos os sentidos. Às vezes, parece que há mais estradas a transitar do que caminhar. Tudo está tão longe. E o nosso pensamento passeia distante...

Calhambeques entre limusines, motoboys e motoristas e adiante segue um corcel branco. Impávido puxa a carroça.  Sob chicotadas no lombo também segue sem entender nossa selva de concreto, aço e neon ...



 Escrito por Dígito às 07h43 [ ] [ envie esta mensagem ]



chuveiro();

Não sei o que é pior: o antes ou o depois do chuveiro. No inverno, é preciso muito mais que água quente.

É necessário toda uma preparação. Primeiro, convencer-se que o frio é psicológico. Mas, a tremedeira nas canelas sempre me desmente. Concentração e planejamento. Despir-se sob um edredon. Calmamente, porque ninguém está com pressa. Peça por peça. Um, dois, três e já. Direto para o chuveiro. Brurrr. Que friooo.

Sabonete e shampoo. Esfrega aqui e acolá. E agora?! Difícil é sair. Caramba, esqueci a toalha...



 Escrito por Dígito às 07h12 [ ] [ envie esta mensagem ]



dia.triste();

Têm dias que a gente acorda triste. E não sabemos porquê. Ou sabemos, mas não como dizer.

E nos encolhemos num canto. Ficamos quietos como se esperando a tempestade passar. Escondemo-nos dos relâmpagos e trovões. Enquanto uma lágrima se confunde com a chuva na janela.

Trancamos portas. Fechamos os olhos. Porque as feridas ainda estão abertas. E os cacos pelo chão cortam os pés...



 Escrito por Dígito às 07h43 [ ] [ envie esta mensagem ]



int acaraje(void sabor);

Domingo. Gelado dentro de casa. Frio demais para sair. Mas, mesmo assim era preferível passear um pouco do que hibernar na caverna escura do quarto.

Feira de artesanato. Ainda se fazem objetos a mão. E a produção não é em série. Cada peça com sua particularidade (identidade).

Pausa para o lanche. Cheiro de quitutes diversos, fumaça de churrasquinho, gordura de pastel e bagaço de caldo-de-cana. Porém, fiquei tentado por um acarajé feito por aquelas mãos baianas. Visual e estruturalmente, estava perfeito do bolinho ao recheio. Mas, não tinha o mesmo sabor. Acho que faltaram as palmeiras, a praia e o horizonte engolindo o mar...



 Escrito por Dígito às 07h18 [ ] [ envie esta mensagem ]