Histórico
 24/10/2004 a 30/10/2004
 17/10/2004 a 23/10/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004
 03/10/2004 a 09/10/2004
 26/09/2004 a 02/10/2004
 19/09/2004 a 25/09/2004
 12/09/2004 a 18/09/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 15/08/2004 a 21/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 11/07/2004 a 17/07/2004
 04/07/2004 a 10/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 20/06/2004 a 26/06/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 30/05/2004 a 05/06/2004
 23/05/2004 a 29/05/2004
 16/05/2004 a 22/05/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004
 02/05/2004 a 08/05/2004
 25/04/2004 a 01/05/2004
 18/04/2004 a 24/04/2004
 11/04/2004 a 17/04/2004
 04/04/2004 a 10/04/2004
 28/03/2004 a 03/04/2004
 21/03/2004 a 27/03/2004
 14/03/2004 a 20/03/2004
 07/03/2004 a 13/03/2004


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Mundo Digital (Blog)
 Inclusão Digital (Site)
 Acessibilidade Brasil
 InternETC (Blog)
 Querido Leitor! (Blog)
 Dilbert (Cartum)


 
Dígito
 
 blogdigito@yahoo.com.br
ciberleitor(es) online


char tecla(const char tecla);

Não vou bater na mesma tecla. Isto é, ficar feliz só porque hoje é sexta-feira. Sendo que isso já se tornou involuntário.

Não posso deixar os dias da semana regerem meu estado de espírito. Ficar de mau humor na segunda. Atarefado na terça. Exausto na quarta. Estressado na quinta. Feliz na sexta. Descansado no sábado. E à toa no domingo.

Eu sei, os dias seguem uma rotina. Mas não posso me condicionar nem me programar por esses fatos. Há sempre coisas boas e ruins. Isso é inevitável. O importante é como atravessamos brisas e tempestades.

A vida é imprevisível. Senão, qual graça teria?!



 Escrito por Dígito às 07h27 [ ] [ envie esta mensagem ]



desconfiguração(float pessoa);

Há tempos o mundo anda desestabilizado social, politica e economicamente. Fato que tem desconfigurado algumas pessoas. 

Desumanizaram-se. Se ainda possuem coração, já não palpita, mas martela frustrações e desencantos. São seres mal resolvidos e mal-amados. Não perderam um parafuso, porém  a beleza da vida.

Eu até tentei conversar. Mas em seus lábios somente existiam palavras ácidas, críticas espinhosas e um sorriso sarcástico. Então, estendi a mão. Contudo, seus punhos estavam cerrados. 



 Escrito por Dígito às 07h33 [ ] [ envie esta mensagem ]



blackout();

Uma noite sem luz(artificial). Os olhos brilham no escuro. Procuram algum entendimento ou explicação.

Tudo off. Parece que desligaram os nossos sentidos. Ficamos atônitos. Não sabemos (re)agir. A (des)visão paralisa o corpo. Olhamos ao redor para certificarmos que não foi apenas um fusível ou um bug local. Outras janelas também nos espiam desconfiadas.

Mas não estamos desamparados. Há a resistência dos no-breaks e a força dos geradores. O perfume da parafina embala o lume dançante de uma vela. 

Há poucas opções num quarto apagado. Poderia dormir mais cedo. Ou fazer amor. Dependeria das estrelas e da lua...



 Escrito por Dígito às 07h46 [ ] [ envie esta mensagem ]



neblina(const char brasilia);

Brasília está toda embaçada. Não é a remela nos olhos nem pupilas dilatadas. A cidade se esconde por um véu nebuloso como um vestido de noiva.

Fantasia no ar. Visão encantada de mistério. Os edifícios se perdem. E as pessoas desaparecem a cada passo. 

Não enxego adiante. Mas sigo em frente porque conheço o caminho. Pareço andar sobre nuvens, contudo sei que não estou no céu...



 Escrito por Dígito às 07h52 [ ] [ envie esta mensagem ]



bateria(full);

Baterias recarregadas. Nada melhor que um sono bem dormido com sonhos sem hora para acabar.

Fomos previamente configurados para trabalhar somente seis dias por semana (a CLT e o sindicato também não me deixam mentir). E o sétimo para o descanso. Acordar da forma mais natural. Com o amanhecer beijando o corpo e a brisa como uma carícia nos cabelos. Espreguiçar-se como um felino despreocupado. E um sorriso nos lábios dizendo bom dia. Porque humor é fundamental.

Ficar à vontade. Sem a forca das gravatas nem sapatos apertados. Sem o ditatorialismo e a inexorabilidade do Tempo. Sem compromissos nem cobranças. Sem cronograma nem horários. E principalmente, sem chefe.

Um dia inteiro só seu. E uma noite também. Em que possa pensar: "Passou a semana. Valeu a pena (! / ?)". Não importa, isso é pessoal e intransferível.

Mas deixemos de conversa, porque hoje já é segunda-feira.   



 Escrito por Dígito às 08h31 [ ] [ envie esta mensagem ]