Histórico
 24/10/2004 a 30/10/2004
 17/10/2004 a 23/10/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004
 03/10/2004 a 09/10/2004
 26/09/2004 a 02/10/2004
 19/09/2004 a 25/09/2004
 12/09/2004 a 18/09/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 15/08/2004 a 21/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 11/07/2004 a 17/07/2004
 04/07/2004 a 10/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 20/06/2004 a 26/06/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 30/05/2004 a 05/06/2004
 23/05/2004 a 29/05/2004
 16/05/2004 a 22/05/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004
 02/05/2004 a 08/05/2004
 25/04/2004 a 01/05/2004
 18/04/2004 a 24/04/2004
 11/04/2004 a 17/04/2004
 04/04/2004 a 10/04/2004
 28/03/2004 a 03/04/2004
 21/03/2004 a 27/03/2004
 14/03/2004 a 20/03/2004
 07/03/2004 a 13/03/2004


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Mundo Digital (Blog)
 Inclusão Digital (Site)
 Acessibilidade Brasil
 InternETC (Blog)
 Querido Leitor! (Blog)
 Dilbert (Cartum)


 
Dígito
 
 blogdigito@yahoo.com.br
ciberleitor(es) online


sexta.feira(frio);

Sexta-feira ensolarada mas fria. Mudam-se as estações, as roupas, os gostos e os programas.

O inverno nos envolve com um estremecer nos ossos, um espirro, um resfriado, uma dor-de-garganta, outra gripe. Mas nem tudo é spleen. nariz escorrendo e atchim. O glamour e a elegância desfilam nas ruas. Desempoeiram-se os casacos, os gorros e os cachecóis. Desde dèmodes às cores da moda. Sentimos estar acima da linha do Equador.

O inverno tem sabor de sopas, caldos e fondues. Um pouquinho a mais no prato e uns quilinhos a mais na balança. Tudo bem. Não é época de dietas nem regimes. Não venhamos nos sentir culpados por isso. Mas que nos lembremos e oremos pelos famintos e desabrigados. E também pelos magricelos e corações solitários.

Minha cidade não tem a Torre Eiffel, mas a Torre de TV. E aos domingos, têm pipoca, algodão doce e maçã do amor. E eu preciso apenas de um sorriso para me iluminar, um abraço para me aquecer e um beijo que me faça adormecer... 



 Escrito por Dígito às 07h27 [ ] [ envie esta mensagem ]



short noite(void);

Depois de um shutdown nas funções básicas, desabo na cama. E minhas noites têm sido um fechar e abrir de olhos. O despertador me acorda e penso: "Como amanheceu cedo!?".

O relógio confirma o horário. Mas ainda está escuro! Eu sei, manhãs de chuva são assim mesmo. Fico um pouco indignado e contrariado. O travesseiro, o lençol e o edredom me seduzem. Entrego-me sem resistir à tentação. Tento transformar mais alguns segundos em eternidade.  Contudo, não consigo. O dever, o trabalho, o ponto, o chefe me chamam.

Poderia inventar uma desculpa, uma gripe, uma dor de cabeça, matar algum parente, comprar um atestado médico, doar sangue... Mas não convenceria. Não aprendi a mentir... 



 Escrito por Dígito às 07h26 [ ] [ envie esta mensagem ]



char lixeira(void);

Não tem direito a reclamar quem não exerce seu dever de cidadão. Sempre é mais fácil apontar os defeitos alheios do que reconhecer as próprias imperfeições.

As calçadas estão sempre sujas e cuspidas. São folhetos que ninguém lê, tocos de cigarros, copos descartáveis, latinhas de alumínio, restos de comida, dejetos, excrementos e os mais variados tipos e tamanhos de papéis insignificantes. Tudo no chão. Para ser písado, amassado ou desviado. E convive-se com a lenda urbana que haverá sempre alguém para varrer, a chuva para lavar e a natureza para deteriorar.

Nosso grau de civilidade está em manter e conservar os bens públicos. Pagar a TLP não implica em concessão de direito a sujar. Garis existem para preservarem a limpeza da cidade e não dos cidadãos. A cada um cabe uma pequena parte. Apenas um pouco de responsabilidade, bom senso e conscientização.

Mas onde estão as lixeiras?! Às vezes, são meras peças decorativas. Localizam-se onde ninguém transita. Difíceis de se encontrar a menos de meio quilômetro. Algumas precisam até de mapa e sinalização. E, geralmente, estão vazias.



 Escrito por Dígito às 07h52 [ ] [ envie esta mensagem ]



mais.valia(trabalho);

Temos, às vezes, que justificar o salário que recebemos. E nos tornamos agentes de missões impossíveis.

Fiz em meio dia o que, normalmente, seria feito em uma semana. E como diz o chefe: "Desculpas e culpados não resolvem problemas. Eu quero soluções. E rápido."



 Escrito por Dígito às 10h46 [ ] [ envie esta mensagem ]



carregar.pedra(assoviando);

Sem tempo para respirar nem blogar. Realmente, devemos ter mais o que agradecer do que reclamar. Afinal, temos emprego, salário e muito trabalho.

E enquanto carregamos pedras sob chicotadas assoviamos uma cantiga infantil...



 Escrito por Dígito às 15h30 [ ] [ envie esta mensagem ]



agenda(full);

Lista interminável de coisas a fazer. Ânimo indispensável para realizar. Hoje, a segunda-feira vai ser longa... ou não. Quem entende o andar dos ponteiros?! 



 Escrito por Dígito às 07h15 [ ] [ envie esta mensagem ]